PMs fazem ação para lotar delegacias em protesto contra Governo do CE

9 de janeiro de 2017
Operação Tolerância Zero coibiu todo e qualquer tipo de infração penal. Agentes pressionam governo pelo reajuste salarial da categoria. Policiais militares do Ceará realizaram uma operação visando lotar as delegacias plantonistas de Fortaleza e de cidades do interior do estado. A ação, chamada “Tolerância Zero”, tem como objetivo pressionar o Governo do Estado pelo aumento da proposta de reajuste salarial da categoria, que foi enviada à Assembleia Legislativa do Estado no dia 30 de dezembro. Durante a operação, os agentes de segurança coibiram todo e qualquer tipo de infração penal, fazendo que os suspeitos fossem levados para as delegacias para registro de ocorrência. Com isso, diversos carros de polícia ficaram estacionados nas delegacias aguardando que as ocorrências fossem finalizadas. Na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), por exemplo, um adolescente foi  conduzido após ser flagrado caçando pássaros na fauna silvestre. Foi realizado o procedimento policial na delegacia e em seguida o menor foi liberado. Em outra unidade policial, no interior do estado, um homem foi capturado com um galo de briga. A operação foi convocada por líderes de associações e sindicatos dos policiais militares. O movimento teve início às 18h e foi marcado para terminar às 23h59h deste domingo (8). Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que, “tanto o policiamento ostensivo, realizado pela Polícia Militar, quanto o atendimento feito nas delegacias plantonistas, seguiu normalmente neste domingo, sem prejuízo para população”. A Associação dos Profissionais de Segurança (APS) informou que a adesão dos policiais foi grande, tanto em Fortaleza quanto no interior. O presidente da APS, sargento Reginauro Souza, acrescentou que os policiais civis também deram apoio durante a operação e que os agentes irão se reunir novamente para definir as próximas medidas. O número de policiais participantes não foi divulgado. As associações ligadas aos PMs questionam que o aumento proposto pelo governo é abaixo do esperado. “Foi uma operação de tolerância zero ao crime, sempre resguardando o direito do cidadão de ir e vir, fazendo com que as ruas ficassem mais calmas. Nosso objetivo é garantir a segurança, mas sempre intolerante a esses valores que o governo mandou para a assembleia, que não atendem a categoria”, comentou o deputado federal Cabo Sabino, um dos líderes do movimento. Proposta de reajuste O governador do Ceará, Camilo Santana, enviou uma mensagem à Assembleia Legislativa no dia 30 de dezembro, propondo equiparar a remuneração dos agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do estado à média salarial do Nordeste. A equiparação do salário dos agentes de segurança pública do Ceará à média do Nordeste foi uma das propostas de campanha de Camilo Santana nas eleições de 2014. FONTE: G1 – 08/01/2017 20h14 – Atualizado em 09/01/2017 14h36

Deputados querem ser ouvidos

9 de janeiro de 2017
A Frente Parlamentar da Segurança Pública emitiu nota criticando a postura do governo na crise dos presídios. Os deputados cobram espaço para apresentar suas propostas sobre o caso. Leia a íntegra do comunicado: “A Frente Parlamentar da Segurança Pública, composta por mais de 300 parlamentares, sendo que muitos são oriundos das instituições operadoras da segurança pública, vem a público manifestar sua preocupação com os últimos acontecimentos no sistema penitenciário brasileiro. Sabemos da gravidade, no entanto, não é normal o Governo Federal ignorar os profissionais de segurança pública, eleitos, que estão no exercício de seus mandatos. Parece coisa de ciúmes! Seria descabido, alguns desses deputados serem chamados, por quem quer que seja, para discutir essa pauta? Se a resposta for negativa, temos que reagir e buscarmos algumas respostas. É lamentável que o Governo, do qual fazemos parte, num momento crítico e grave como esse não busque uma solução caseira. Chegamos até a imaginar que os Ministros da Justiça e da Defesa não conhecem a Casa do Povo. E suas vaidades pessoais não permitem escutar a opinião de parlamentares, ouvem seus assessores, mas não ouvem os deputados. Projetos de Lei existem aos montes, mas são ignoradas. Recentemente concluímos a CPI do Sistema Carcerário e apresentamos vinte propostas para melhorar o sistema prisional, no entanto, em nenhum momento os ministros se referiram à essa Comissão de Inquérito e suas propostas. Durante a CPI alertamos o Governo sobre as facções que estavam dominando os presídios, mas a questão não foi tratada com a devida atenção e o resultado foi a tragédia que aconteceu na última semana. Não sabemos identificar o que acontece, a única certeza que temos, é que estamos à disposição do Governo Federal e não concordamos em legislar para a segurança pública por espasmos, pois a sociedade não suporta mais conviver com o crescimento desenfreado da violência. Deputado Alberto Alberto Fraga Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública”   FONTE: O ANTAGONISTA

A contribuição da PM em favor do esporte

6 de janeiro de 2017
POR QUE MEU PAI POSTIÇO RECEBEU A MEDALHA “CEL DELFIM CERQUEIRA NEVES” Eu era Tenente da EEF quando o conheci na redação de “A Gazeta Esportiva”, no momento exato em que ele exultava pela criação da “Operação Juventude”, competição para talentos de atletismo. Nessa época, eu nem imaginava que ele se transformaria no meu Pai postiço! Nem mesmo sabia que ele seria testemunha presencial de quase um século da história da Polícia Militar, conforme revela neste texto publicado pouco antes do centenário da Escola de Educação Física, Pioneira do Brasil. Também não podia adivinhar que ele viria a ser o fundador do Panathlon Club São Paulo (primeiro do País) do qual participaria também o Cel Delfim Cerqueira Neves, na categoria desportos militares, que viria a dar seu nome à medalha que ele acaba de receber. Cel Corrêa de Carvalho Interior Ativo AOPM     A CONTRIBUIÇÃO DA PM EM FAVOR DO ESPORTE Henrique Nicolini Quando a Escola de Educação Física da Polícia Militar está nas vésperas de completar um século de existência, senti-me na obrigação de escrever algo sobre a participação daquele estabelecimento de ensino no esporte brasileiro e, também sobre a extraordinária contribuição da nossa Polícia Militar à sociedade paulista, missão que transcende amplamente a sua tarefa precípua de manutenção de ordem pública. A minha condição de jornalista, há mais de seis décadas militando em um jornal de esportes, proporcionou-me um mirante para observar a ação daquela grande corporação em favor de todos os paulistas. Antes de entrar no terreno mais especializado da sua atuação direcionada aos esportes, desde o tempo em que essa corporação era chamada de Força Pública, é justo que se demonstre ao leitor a importância total da nossa Polícia Militar. Criada em 1831, pelo Brigadeiro Tobias de Aguiar, aquela corporação era uma força militar do Estado de São Paulo, com respeitável presença em nossa sociedade desde a sua criação. Ela demonstrou toda a sua grandeza na Revolução de 1932, quando integrou o exército constitucionalista em várias frentes. De 9 de Julho a Setembro, demonstrou bravura, tendo ao seu lado também voluntários cidadãos patriotas, conscientes de seu ideal, mas com total inexperiência militar. Hoje, seus bombeiros mantêm o maior índice de admiração do nosso Estado, não só pelo heroísmo do combate às chamas, como também pela dedicação no atendimento às vítimas de acidentes e de problemas de saúde. No decurso do século passado, a Força Pública transformou-se em Polícia Militar. O aumento da população e a conseqüente ampliação dos problemas sociais e de criminalidade exigiram que aquele contingente de bravos soldados assumisse a função policial, responsabilizando-se por uma luta tenaz que se torna cada dia mais intensa: a do combate ao crime e à violência. Trata-se de uma guerra que, como as demais, apresenta autores e vítimas de ambas as partes. No Brasil, o crime organizado assumiu tal dimensão que os bandidos já contam com tecnologia de primeiro mundo e armamentos muitas vezes superiores aos da própria P.M. Nesta competição que ocupa diariamente um grande espaço da mídia, nem sempre a nossa gloriosa Policia Militar recebe a necessária simpatia. Se há uma vítima de um projétil, na quase totalidade das vezes o fato é atribuído a um policial e nunca a um meliante. Existe uma permanente atitude de defesa em relação ao bandido morto e muito raramente é destacada

Armários

2 de janeiro de 2017
Armários Está acrescido no valor do boleto com vencimento em 10.01.2017 a taxa referente ao  armário, que pode ser: Semestral: Armário pequeno: R$ 98,00 Armário grande   : R$ 149,00   Anual: Armário pequeno: R$ 173,00 Armário grande   : R$ 270,00   *Os acréscimo são somente para os associados que possuem armários locados nos Vestiários Masculino,  Feminino ou no Vestiário do Campo de Futebol.      

Sem eventos