Não se muda um País com violência

Publicado por admin 3 anos atrásNenhum comentário

Neste domingo (4), uma manifestação que transcorria de maneira ordeira e pacífica, que se iniciou na Avenida Paulista, terminou com lamentáveis e injustificáveis cenas de violência. Em razão do excesso de pessoas, funcionários do Metrô fecharam a estação Faria Lima, mas alguns indivíduos tentaram forçar a entrada. A Polícia Militar foi acionada para garantir a segurança, mas essas pessoas começaram a arremessar pedras e paus nos policiais, havendo a necessidade de adoção de procedimentos de dispersão.

Lamentavelmente, algumas pessoas que sequer presenciaram o que ocorreu estão antecipando seus julgamentos para responsabilizar a Polícia Militar pelo início da confusão.

A pergunta que se faz obrigatória nesse momento é: qual seria a lógica de se reprimir um ato pacífico, como sugerem alguns? Infelizmente, alguns tentam colocar a Polícia Militar no polo oposto às suas pretensões, como forma de atrair a atenção pública e legitimar suas causas. É importante esclarecer, contudo, que a Polícia Militar é apartidária, isenta e imparcial. Suas ações são técnicas e dependem exclusivamente de motivação legal.

Não é a primeira vez que uma suposta tática de protestos tenta chamar a atenção para a sua causa alegando a violência do Estado. Para tentarem alcançar seu objetivo, atacam a Polícia Militar e praticam atos de vandalismo, esperando a obrigatória reação para manipular a divulgação dos fatos de maneira midiática e mostrar apenas a consequência de seus atos e não as causas.

Neste domingo, antes mesmo de se iniciar a manifestação, 27 pessoas foram detidas portando instrumentos de uso em atos de vandalismo em protestos. Com essa ação, a Polícia Militar viabilizou a realização de um ato pacífico até o final, o que foi comprometido, infelizmente, em razão da falta de civismo de poucos.

A Polícia Militar repudia a tentativa de utilização indevida de sua imagem, pois atua sempre no imparcial objetivo de garantir a ordem, proteger as pessoas e fazer cumprir as leis. Não cabe à polícia avaliar se uma causa é justa ou correta, mas parece lógico que um país melhor não se faz com o emprego de violência e manipulações.

Fonte: Comunicação Social PMESP
(06/09/2016)
Categoria:
  Notícias
esta notícia foi compartilhada 0 vezes
 000

Escreva um comentário

Your email address will not be published.