ALÉM DE BOM COMPANHEIRO, O CÃO PRESTA SERVIÇO À SOCIEDADE

Publicado por Camila Goulart 3 anos atrásNenhum comentário

pandeiro e maria clara (1)Quem tem um cão sabe muito bem a alegria de poder compartilhar seu dia a dia com um ser tão especial. Só a companhia dele já nos permite ter uma melhor atitude perante a vida, dando-nos mais confiança e segurança.

O cão é companheiro, inteligente e leal, daí a sua fama de ser o melhor amigo do homem. Mas você sabia que ele presta grandes serviços à sociedade?

O mais popular é o trabalho do cão guia, adestrado para guiar pessoas cegas ou com deficiência visual grave, ou auxiliá-las nas tarefas caseiras. Esta atividade já é regulamentada por lei, que permite o acesso do animal em locais públicos e privados abertos ao público ou de uso coletivo.

Outra categoria são os cães que são usados em terapias, visitas programadas em asilos e instituições, para portadores de variadas deficiências. Dentre os principais benefícios comprovados neste convívio com os animais estão o encorajamento das funções da fala, redução da pressão sanguínea e frequência cardíaca, estímulos à memória e cognição, oportunidade de comunicação e convivência, diminuição da ansiedade e do estresse, entre outros.

Não muito conhecido aqui no Brasil, o cão de serviço executa tarefas em benefício da pessoa com alguma deficiência ou doença, aumentando sua independência.

Podem ser cães de alerta médico, treinados para alertar sobre uma condição clínica específica, como detectar hipoglicemia em diabéticos ou um ataque iminente de epilepsia.

Também existem os cães para mobilidade, como é o caso dos que auxiliam no cotidiano de cadeirantes e são treinados para ajudar em tarefas como abrir e fechar portas, chamar o elevador, trazer objetos e, inclusive, chamar outra pessoa na casa em caso de emergência.

E há os cães que acompanham pessoas com autismo, que protegem a integridade física e o controle de situações de emergência, evitando comportamentos de fuga e facilitando a integração social de seus assistidos.

Aqui na AOPM vamos ter a companhia do Pandeiro, um cão de serviço, inseparável parceiro de Maria Clara Souza Bezerra, uma associada de 7 anos, portadora de autismo.

Este simpático labrador preto chegou na vida de Maria Clara há 5 meses, depois que Eliana Souza Bezerra, mãe da garota, procurou pela Bocalan, entidade sediada na Espanha que promove o estudo do comportamento humano e animal, treina cães para atividades específicas, bem como oferece cursos de treinamento.

Rocio e Hugo, treinadores da Bocalan, contam que para um cão ser “adotado” é necessário passar por um processo de adestramento, que pode durar até 1 ano, com três fases de adaptação, a fim de consolidar a socialização com o assistido e sua família.

Além do apoio da mãe, que já nota diferença no comportamento de Maria Clara, seu pai, Antônio Carlos Bezerra, e sua irmã, Maria Luiza Souza Bezerra, também aprovaram a convivência com o adorável Pandeiro, que auxilia sua amiga na interação social, atenção, concentração, aprendizagem e em sua comunicação.

Lembramos que, quando estiverem aqui na AOPM, o cão estará sempre com um colete e acompanhado por Maria Clara, deixando evidente que está em serviço e que deve ficar 100% atento em suas funções.

Que linda parceria, não é?

Nossos cães heróis

Sempre muito dispostos e prontos para qualquer missão, os cães da Polícia Militar do Estado de São Paulo também prestam um relevante serviço para a sociedade.

“Os cães acompanham a rotina de trabalho do policial militar que o conduz e estão aptos a fazer policiamento nas ruas, detecção de entorpecentes, localização de explosivos, busca de pessoas perdidas e de foragidos da justiça, além de oferecer apoio para grandes eventos, como shows, partidas de futebol e manifestações”, afirma o Comandante do 3º BPChq, Cap PM Alexandre Farrath Jr., responsável pelo Canil Central.

O local conta, atualmente, com 36 cães das raças Pastor alemão, Rottweiler, Pastor belga Malinois, Labrador, Braco alemão e Bloodhound. Os animais se aposentam com 8 anos de idade e, normalmente, são adotados pelo seu adestrador depois de aposentados.

O Canil Central, o primeiro de São Paulo, oferece treinamentos, cursos e estágios para os 25 canis setoriais da PM distribuídos pelo Estado.

Um dos destaques é o 3ºBPM/I, canil da região de Ribeirão Preto, com 20 cães. Com mais de 70 cursos dentro e fora do do país, o Cb Ricardo Alexandre Cazarotte, encarregado da equipe de cães farejadores, ressalta o treinamento que fez a um labrador, doado para um garoto com epilepsia.

A presença do cão, que alerta quando percebe que uma crise está prestes a ocorrer, trouxe bem-estar ao assistido, além de desenvolver sua capacidade motora e seu convívio social.

Um trabalho notável embasado em companheirismo, cumplicidade e confiança.

canil (1) canil (2) canil (3) canil (4) canil (5) canil (6)

Categoria:
  Notícias
esta notícia foi compartilhada 0 vezes
 000

Escreva um comentário

Your email address will not be published.